Seguidores

28 de mar de 2013

Realmente sabemos perdoar?!

Quantas vezes nós nos afastamos das pessoas ao nosso redor por algo que ocorreu e trouxe tristeza para as nossas vidas, algo que porventura não foi tao grave assim mas que no momento brotou em nossa alma aquela pequena raiz de rancor e que mais tarde cresceu e tronou-se em ódio.
Então o nosso orgulho nos impede de liberar o perdão para com aquela pessoa mesmo sabendo que este ódio nos impede de conquistar nossos objetivos, acabamos então nos tornando pessoas amarguradas, desesperançadas e privamos a nos mesmos de receber as bençãos da parte de Cristo.
O que devemos fazer então e pedir a Cristo que nos mostre a raiz de toda esta angustia e que ele nos ajude a liberar o perdão, sendo assim feito ambas as partes viverão em paz.

Segue a meditação abaixo, para você que está passando por esta situação:

"Todo aquele que odeia a seu irmão é assassino, ora, vos sabeis que todo assassino não tem a vida eterna permanente em si."(1 Jo 3:15)

"Quando decidimos não perdoar, acabamos andando em trevas."(1Jo 2:9-11)

"Ao longo de minha infância, minha mãe abusava de mim, mas não meu pai.Quando me tornei cristã a coisa obvia a fazer era perdoar minha mãe. Foi só vários anos mais tarde que Deus me revelou que eu não havia perdoado meu pai. Quando um conselheiro cristão com quem eu conversava sobre a inquietação e frustração de minha alma me perguntou se havia algo pendente em relação ao meu pai, respondi que não.Por que haveria? Não foi ele que abusou de mim. No entanto, quando o conselheiro pediu que eu orasse e pedisse a Deus que me mostrasse a verdade, uma vida inteira de fúria, raiva, mágoa,rancor, bem como lágrimas e mais lágrimas inundaram todo o meu ser. Bem no fundo, sentia que meu pai não havia me salvado. Em momento algum ele havia me livrado do insanidade de minha mãe. Ele nunca havia me ditado do armário onde ela me trancava por tanto tempo no inicio de minha infância. Não percebi quanto eu o culpava por permitir que minha mãe, que ele sabia que sofria de uma doença mental grave, tivesse me tratado com tanta crueldade.
Naquele dia quando o perdoei, senti uma paz que jamais havia experimentado."
                                                
            
            (texto retirado do livro O Poder da Mulher que Ora)

4 comentários:

  1. Pensamos que é fácil perdoar até nos depararmos com uma situação grave. É muito difícil, mas quando conseguimos há um refrigério na nossa alma.
    Deus abençoe todos desta terra abençoada de Sarandi.

    ResponderExcluir
  2. Belo post. De fato, não sabemos perdoar! Somos acostumados a esperar que o outro peça perdão e que ele me perdoe. Mas Cristo nos ensina o contrário, devemos pedir perdão e perdoar o próximo.
    Deus te abençoe
    http://bispoerisvaldo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Muito profundo e um belo exemplo que o culpado nem sempre é aquele que comete abuso, mas também aquele que sabe e não move um dedo para evitar tamanha crueldade. Refleti muito sobre este exemplo parabéns. Libertador das nações UBE

    ResponderExcluir
  4. Desejo-lhe paz de Jesus.
    Seu blog é muito bom, e pela escrita nota-se que á alguém que ama Deus e ao proximo.
    É lendo blogs como o seu que crescemos e aprendemos, blogs que ensinam sobre uma nova vida e dão esperança nesta vida de correria. Gostei do seu abençoado blog.
    Aproveito a oportunidade para compartilhar também meu blog. Peregrino E Servo.
    Que Deus continue a abençoar-vos ricamente.
    Ps. Se desejar seguir o meu humilde blog, saiba que irei retribuir.
    Antonio Batalha.

    ResponderExcluir